CompararComparando...

Vida e fogo não combinam: Reflore/MS e associados realizam ‘5a Campanha de Prevenção e Combate a Incêndios’

Lendo Agora
Vida e fogo não combinam: Reflore/MS e associados realizam ‘5a Campanha de Prevenção e Combate a Incêndios’

O período mais seco do ano se aproxima trazendo preocupação para os produtores de todo o estado. Entre maio e outubro cresce a incidência de incêndios em Mato Grosso do Sul, gerando prejuízos ambientais, sociais e econômicos. Para alertar, conscientizar e orientar a população, a Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore/MS) e seus associados iniciam a ‘5a Campanha de Prevenção e Combate a Incêndios’.

Conforme informações do analista ambiental do PrevFogo, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Alexandre Pereira, mais de 90% dos incêndios florestais são provocados por ação humana, de origem proposital, acidental ou por negligência.

“Em MS a principal causa que leva aos incêndios florestais é o uso do fogo de forma inadequada, sem as recomendações técnicas necessárias para manter o fogo sob controle. No estado, o fogo é utilizado principalmente na atividade de pecuária com o objetivo de renovar a pastagem nativa. Outras atividades relacionadas ao campo também utilizam o fogo, como, por exemplo, a limpeza de restos de colheita, de exploração florestal, controle de pragas, entre outros. Não podemos esquecer que o uso do fogo é permitido por meio das queimas controladas, desde que autorizado pelo órgão estadual de meio ambiente”, diz Alexandre.

O presidente da Reflore/MS, Moacir Reis, ressalta que a campanha busca criar a cultura da prevenção junto a população: “Queremos mostrar que com pequenas atitudes podemos prevenir incêndios de diversas proporções e, em casos mais extremos, orientar sobre as medidas e ações de combate. Além de conscientizar, a campanha também almeja diminuir direta e indiretamente o número de focos de incêndio no estado; tornar MS referência na prevenção mundial; promover a união dos segmentos do campo e; desenvolver economicamente o estado com atrativos preventivos para as diferentes indústrias e empresas”.

Focos de incêndio

De acordo com o analista ambiental, os incêndios florestais são episódios que​ podem trazer diversos impactos ambientais​, sociais e econômicos. Sobre os impactos ambientais​, ele cita a perda da biodiversidade, degradação do solo, emissão de gases de efeito estufa, mudanças climáticas, entre outros. Já com relação aos impactos sociais, destaca problemas respiratórios, deslocamento de pessoas de áreas de risco, corte do fornecimento de energia e etc. Nos impactos econômicos realça o fechamento de rodovias e aeroportos, destruição de rebanhos e de plantios, inclusive de florestas plantadas.

Uma pesquisa realizada pela Reflore/MS, junto aos seus associados, revela que em 2016 as maiores ocorrências de incêndios florestais, nas terras das empresas associadas, aconteceram na região de Três Lagoas-MS (600 hectares atingidos), Santa Rita do Pardo-MS (269 hectares), Paranaíba-MS (128 hectares), Nova Andradina-MS (70 hectares), Selvíria-MS (67 hectares), entre outros.

Com relação ao número de queimadas gerais do estado, de acordo com o Ibama, em 2015 foram 5.309 focos de incêndios e em 2016 foram 6.967, um incremento de 31,2% de um ano para o outro. Diante desses dados alarmantes, a ‘5a Campanha de Prevenção e Combate a Incêndios’ reforça a importância de conscientizar a população sobre o tema.

Educar para prevenir e combater

 Em 2016 as ações atingiram cerca de 400 mil pessoas e neste ano a expectativa é ainda maior. A campanha contará com ações educativas que buscam atingir as comunidades rurais e urbanas. Outdoors informativos, com contato para denúncia, foram instalados em rodovias da costa leste do estado, como a BR-262 e em municípios como Inocência-MS e Brasilândia-MS.

Serão realizadas palestras educativas no campo e na cidade, especialmente nos municípios que possuem as maiores bases florestais, como Ribas do Rio Pardo-MS, Água Clara-MS e Três Lagoas-MS. Além disso, a associação vem buscando realizar uma parceria com o Projeto Agrinho, para levar a cultura de prevenção para as crianças.

Já no dia 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, a entidade e seus associados realizam uma grande panfletagem informativa, que já virou uma marca da campanha. Esta ação está prevista para acontecer no Posto da Polícia Rodoviária Federal de Água Clara-MS, no Posto da Polícia Militar Ambiental de Três Lagoas-MS, no Posto da Polícia Militar Ambiental do distrito de Casa Verde-MS, entre outros a confirmar.

Com pequenas mudanças em nosso comportamento contribuiremos para a diminuição dos focos de incêndio, como explica Benedito Mário, diretor executivo da Reflore/MS: “Ao trafegar pelas rodovias não jogue cigarros ou fósforos acesos nas vegetações, não jogue lixo; cacos de vidro e latas aquecidas pelo sol podem facilitar a ocorrência de queimadas. Não ateie fogo em terrenos e lixos; usar fogo para limpar os ambientes empobrece o solo, polui o ar, prejudica a saúde e altera o clima. Outra dica é fazer manutenção constantemente nos motores de caminhões, máquinas e tratores: desregulagens podem causar faíscas pelo escapamento, provocando incêndios na mata”. Lembrando que provocar queimadas sem autorização é crime ambiental (Decreto-Lei no 9.605/98 e Decreto no 6.514.08)”.

Qual é a sua impressão?
Amei
0%
Curti
100%
Não Gostei
0%
Sobre o Autor
Celulose Online
Celulose Online
Comentários
Deixe um Comentário

Deixe um Comentário