CompararComparando...

Coaching – Sulivan França – Diz-me com quem falas que eu te direi quais chances profissionais tens!

Lendo Agora
Coaching – Sulivan França – Diz-me com quem falas que eu te direi quais chances profissionais tens!

02/12/2016 – Ou melhor, diga-me quem está em sua lista de contatos do celular, quem são seus amigos no Facebook e, principalmente, quem está no seu LinkedIn. Pode parecer balela, mas o nome do seu próximo chefe e/ou colega de trabalho provavelmente já está nessas suas redes. Ninguém faz nada sozinho, muito menos no mundo corporativo – onde, aliás, mais vale aquela máxima do QI (Quem Indica).

A propaganda boca a boca é responsável por grande parte do desenvolvimento de uma carreira, em uma relação bem próxima com a de marca x consumidores. Nesse caso, porém, você é o produto (ou serviço), e o mercado é que, entre as prateleiras, procura a melhor aquisição. Se em um desses corredores alguém apontar determinado rótulo como o mais e_ ciente, a escolha será muito mais provável.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego repetiu a pior taxa da história. No trimestre encerrado em maio, a desocupação bateu a marca de 11,2%, o mesmo percentual de abril. Ao todo, 11,4 milhões de brasileiros estão desempregados. Com cada vez mais incertezas, diversos profissionais permanecem aflitos em busca de uma oportunidade e, no meio de tanta gente, aqueles que têm os contatos certos estão conseguindo se sobressair com muito mais facilidade.

O famoso networking é considerado, sim, uma estratégia profissional.

Isso pode ajudar o colaborador a alcançar posições ou cargos mais elevados e, inclusive, a recolocar-se profissionalmente. Por isso, comecei esse artigo afirmando que sua lista nas redes sociais, seus contatos telefônicos e infinidades de cartões são essenciais.

Mas, espere! Não basta parar por aí; é necessário compreender que o relacionamento deve ir além. É preciso saber que se trata de um investimento demorado e que não se pode desistir no começo – até porque, dos seus milhares de contatos, apenas um ou dois serão aqueles cruciais para você. É um trabalho de formiguinha separar o joio do trigo e encontrar aquela pessoa que pode dar uma mão em sua carreira.

O maior equívoco dos profissionais quanto ao networking está justamente em não saber diferenciar qualidade de quantidade: mesmo com 5 mil amigos no Facebook e 500 conexões do LinkedIn, nenhuma pode funcionar.

Em contrapartida, um colega com 100 amigos e 50 conexões pode conseguir a recolocação dos sonhos em um piscar de olhos. Ele estava no lugar certo e na hora certa? Não, porque aqui não é uma questão de sorte, mas de análise com inteligência. A diferença entre minha lista e a dele? Qualidade!

Outro ponto importante: contatos precisam ser mantidos. Não adianta adicionar as pessoas e nunca falar com elas. Se você quer usar seu networking como alavanca para sua carreira, precisa fortalecer vínculos o tempo todo. Na hora do desespero, não adianta recorrer a um mailing se não existe intimidade. Encare como uma espécie de investimento de longo prazo ao qual você precisa estar sempre atento.

Mantenha contatos frequentes. Chame as pessoas para um café, um bate-papo descontraído em um lugar legal pela cidade. O networking é o primeiro passo para receber uma indicação profissional, mas vale frisar a importância da competência. Digo sempre que colocar alguém dentro da empresa é fácil, mas permanecer ali depende exclusivamente do colaborador. Boa sorte!

Artigo publicado inicialmente na Revista O Papel / Outubro de 2016

Qual é a sua impressão?
Amei
0%
Curti
0%
Quero
0%
Tenho
0%
Odiei
0%
Sobre o Autor
Sulivan Franca - Coaching
Sulivan Franca - Coaching
Sulivan França é presidente da Sociedade Latino-americana de Coaching (SLAC) e especialista em comportamento humano. contato: [email protected]
Comentários
Deixe um Comentário

Deixe um Comentário