CompararComparando...

AkzoNobel e parceiros querem transformar o açúcar da beterraba em produtos químicos

Lendo Agora
AkzoNobel e parceiros querem transformar o açúcar da beterraba em produtos químicos

beterraba-em-químico05/12/2014 – AkzoNobel, líder global no mercado de tintas e revestimentos e uma das principais fabricantes de especialidades químicas no mundo, sempre em busca de soluções na cadeia da indústria química, uniu forças com Suikerunie, Rabobank, Deloitte, NOM (Agência de Investimento e Desenvolvimento para o Norte da Holanda), Groningen Seaports e a província de Groningen para estudar a possibilidade de produzir químicos a partir do açúcar da beterraba.

As empresas pediram para a Deloitte estudar a viabilidade da ação e fornecer uma análise crítica independente, bem como uma avaliação econômica sobre a produção de diversos produtos derivados do açúcar de beterraba no conglomerado químico de Delfzijl, na Holanda.

Dando continuidade aos esforços da indústria para substituir cada vez mais as escassas matérias-primas não renováveis, a parceria visa o potencial de sintetizar uma gama de produtos químicos de maneira rentável e sustentável.

Em recente publicação, a empresa Deloitte apontou a Holanda como o país com melhor custo na produção de açúcar. A produção de açúcar de beterraba também deverá crescer consideravelmente devido a uma já anunciada ação de desregulamentação.

“Sabemos que a Holanda é capaz de produzir grandes volumes de açúcar de beterraba”, explicou Knut Schwalenberg, Diretor Geral de Industrial Chemicals da AkzoNobel e responsável pelas atividades da empresa em Delfzijl. “Agora estudaremos maneiras de criar postos de trabalho e aumentar a produção em Delfzijl.”

Marco Waas, Diretor de PD&I e Tecnologia de Industrial Chemicals da AkzoNobel também acrescentou: “Estamos sempre buscando usar a inovação para impulsionar um crescimento sustentável. A melhor parte desse projeto é que ele também se encaixa perfeitamente à nossa abordagem Planet Possible, que orienta o desenvolvimento de novas tecnologias menos baseadas em materiais fósseis que reduzirão a nossa pegada ambiental em toda a cadeia de valor.”

 Albert Markusse, CEO da Suikerunie, comentou sobre a parceria: “Um aspecto realmente interessante dessa abordagem é a colaboração entre diversos segmentos do mercado – agricultura, produtos químicos e logística. Os resultados serão interessantes para todos nós.”

Siem Jansen, Presidente da NOM, também acredita em um resultado positivo: “A beterraba é uma cultura importantíssima, não só para a região do Norte da Holanda, mas também para a região de Niedersachsen. Novos produtos de alto valor com base nesta cultura impactarão toda a cadeia de valor e poderão gerar um importante impulso à economia local”.

O estudo levará cerca de três meses para ser concluído e os parceiros esperam identificar ao menos um caso de negócio de sucesso para produção comercial em Delfzijl.

Qual é a sua impressão?
Amei
0%
Curti
0%
Não Gostei
0%
Sobre o Autor
Celulose Online
Celulose Online
Comentários
Deixe um Comentário

Deixe um Comentário